spot_img
0,00 BRL

Nenhum produto no carrinho.

InícioFabienne GuttinTREINAR EM PISCINA CURTA E COMPETIR EM LONGA

TREINAR EM PISCINA CURTA E COMPETIR EM LONGA

Esse sábado tive a oportunidade de participar de uma competição em piscina olímpica. Há muito venho treinando tão somente em piscina semiolímpica. A diferença foi vultosa. E dolorida. Havia esquecido as diferenças. E voltar a nadar em uma longa, foi renovador!

As diferenças são bem grandes. O ideal seria sempre treinar na piscina de mesmo tamanho daquela onde irá competir. Porém, as piscinas de 50m são mais raras.

Como então encarar uma prova na piscina olímpica, treinando na piscina semiolímpica?

– Acho que a primeira opção é a de aprimorar a técnica e aumentar a força. Sem boa técnica, os problemas serão proporcionais ao tamanho da piscina maior! Trabalhar a técnica é vital para melhorar a performance em uma piscina longa.

– Treinamento aeróbico é fundamental. Na piscina longa temos maior gasto de energia.

– Fazer um bom trabalho de pernas. A carga de pernada é maior para terminar a prova.

Por fim, lembrei que ao fazer o mesmo treino nas duas piscinas, o cansaço na longa era infinitamente maior.

Acho isso positivo pois o corpo é mais solicitado (menos repouso dos braços pois há menos viradas – os braços na longa estão sempre em movimento) e o treino para resistência será melhor.

Há também o aspecto psicológico. Nadar em piscina curta parece mais fácil.

Nosso córtex reage de maneira diferente quanto à distância já percorrida e àquela ainda a percorrer. Com isso ele nos envia uma sensação de apreensão.

Estudos indicam que se houver uma velocidade média de 3,3 km/h em piscina curta, essa velocidade será de 3,1 km/h na longa.

Indicam também que 1 hora de nado em piscina longa equivale de 1h15 a 1h30 em piscina curta – do ponto de vista muscular.

Finalmente acho que a piscina curta dá vantagens às saídas e às viradas de excelência. Saber administrar esses dois pontos dá grande vantagem nos resultados em piscinas curtas.

Ao passo que, nas piscinas longas, o nado em si (técnica e força) qualifica mais a competição.

Enfim, foi constado que em piscina curta o nadador de alta performance que nada um minuto: 43 segundos são nadados e 17 segundos são viradas e impulsões.

Na piscina longa, esse mesmo nadador nadará 53 segundos e gastará 7 segundos com viradas e impulsões.

A diferença de tempo de repouso é grande!

Então, ao sair completamente quebrada da competição sábado, só me fez avaliar e rever os aspectos importantes a serem melhorados e trabalhados na piscina em que nado – curta – a fim de encarar as competições internacionais que, no geral, são sempre em piscinas longas!

Foi uma sacudida que me repôs no eixo e me fez repensar nos objetivos.

Obrigada! Valeu! Adorei a quebradeira…!

ARTIGOS RELACIONADOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

ÚLTIMOS POSTS